sábado, 10 de setembro de 2011

Malícia e pureza

Nos seus olhos há malícia e pureza
De quem é pura e má
Ou de quem é puramente má
De quem é maliciosamente pura

Não parcebe a alegria e a dor que causa em torno de si
Está voltada para seu mundo puro, encantado e abissal

Por que eu te amo?
Porque você não sabe a resposta

Um comentário:

Dalva Broedel disse...

lindo poema Gabriel. amei